Tag Archives: Controle Remoto

Códigos do controle remoto do receptor de satélite ASAMÉRICA

Nota: Eu não anotei o modelo do receptor onde esse controle funcionava. Não sei se funciona com todos ASAMÉRICA.

Protocolo NEC de 32 bits

 

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Códigos do controle remoto do receptor de satélite OI TV SD

Este controle remoto não tem a palavra “HD”. Os códigos do receptor HD são estes.

Protocolo RC6 de 36 bits

 

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Códigos do controle remoto do receptor de satélite OI TV HD

Protocolo RC6 de 36 bits

 
 Controle_Remoto_OI_small_automalabs.com.br

 

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Códigos do controle remoto lennox RC-109

Este remoto é usado em uma TV Lenoxx cujo modelo ainda não sei.

Protocolo NEC 32 bits

 

 

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Códigos do controle remoto do receptor ISDB-T Aquário DTV-6000

Este controle não apenas é parecido com o do receptor ISDB-T comercializado pela Infokit. Os códigos são os mesmos.

Protocolo NEC de 32bits

 

 

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Códigos do controle remoto do receptor de satélite GVT/VIVO

Até onde sei todos os aparelhos da GVT usam o mesmo controle remoto e a VIVO ao comprar a GVT só mudou o nome.

Protocolo RC6 de 36 bits

O quinto byte alterna (é um protocolo Philips) entre “A” (00001010) e “2” (00000010)

Controle_remoto_GVT_DSC02639_640_automalabs.com.br

Este controle tem uma particularidade. As rotinas de leitura da biblioteca IRremoteESP8266 interpretam sem problemas os comandos acima, mas se você usar esses comandos com a função sendRC6 da mesma biblioteca, o receptor da GVT ignora completamente. A mesma biblioteca mostra que o que ela está transmitindo não bate com o remoto original. Se você transmitir com 36 bits é completamente diferente. Se transmitir como 32 bits o código decodificado confere, mas há uma diferença.

Analisando bit por bit eu identifiquei essa diferença. É assim a forma real do código da tecla “zero”:

remoto_gvt_SignalPlot_key0

E criei uma nova função que chamei de sendRC6gvt.

Eu acrescentei essa rotina ao arquivo IRremoteESP8266.cpp e a chamada para ela em IRremoteESP8266.h. Eu estou usando a versão 1.x. Se você estiver usando a versão 2.x vai precisar fazer algumas mudanças.

Note que você deve chamar essa rotina alternativa dizendo que o código é de 32bits e não de 36.  Os outros 4 bits, do cabeçalho, minha rotina transmite “por fora”.

 

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Receptores de controle remoto IR : Problemas para decodificar comandos.

Mantenha o receptor protegido da iluminação ambiente

Luz incidindo sobre o receptor, mesmo que não seja modulada, pode saturar (“cegar”) o sensor e dificultar sua capacidade de reconhecer outras fontes de luz. É por isso que receptores de aparelhos comerciais ficam dentro dos aparelhos, recuados.

Iluminação fluorescente é especialmente complicada

Muitos reatores eletrônicos para esse tipo de lâmpada operam numa freqüência muito próxima dos controles remotos comerciais e por isso os receptores podem ficar cegos por elas com muito menos iluminação. Isso também vale para TVs LCD: o backlight opera pelo mesmo principio e um receptor voltado para uma TV pode ficar cego.

Problemas com comandos de 36 bits

Se você estiver encontrando uma incomum dificuldade para decodificar remotos que usam comandos 36 bits (XBOX, GVT, OI) , experimente usar outro modelo de receptor.  Eu tive sucesso total usando o TSOP58238 onde um outro modelo mais antigo não decodificava comando algum. O sintoma é que a biblioteca “acha” que o comando é de 32 bits, mesmo sendo uma versão que reconhece comandos de 36 bits, então você pode demorar a perceber que o problema está no comprimento do código.

Controles de ar condicionado são mais complicados

O controle de ar condicionado pode ser muito diferente do controle IR tradicional. Geralmente o controle guarda o estado atual do aparelho e cada vez que você aperta um botão, TODO o estado é retransmitido. Cada parâmetro é um bit ou conjunto de bits na string de transmissão.

Com exceção, provavelmente, dos comandos POWER ON e POWER OFF.

Então, se você quiser transmitir um determinado estado completo, isso é fácil. Mas se quiser apenas aumentar ou diminuir a temperatura sem mexer nas outras configurações feitas, vai precisar entender o protocolo do aparelho e construir os comandos através de manipulação de bits.

Os que eu estudei são assim. Podem haver exceções, mas não vejo como o controle remoto poderia se manter sincronizado com o estado do aparelho, a não ser que este aceite um segundo protocolo, só para comandos discretos.

Postado em Sem categoria | Tags: | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Receptores de controle remoto infravermelho – Cuidados com alimentação

Vários fabricantes de receptores IR recomendam em seus datasheets algo assim (exemplo do datasheet do Everlight IRM-8601):

InfraredReceiver_LowPassFilter_Example_automalabs.com.brNote o resistor de 47R e o capacitor de 47uF. Eles formam um filtro “passa-baixas”* cuja função é impedir que interferência de alta freqüência que venha pela alimentação chegue ao sensor. Essa interferência tanto pode ocorrer “naturalmente” pelo uso de uma fonte chaveada ruidosa quanto ser inserida pelo seu próprio projeto à medida que você insere componentes. Você pode até fazer o seu projeto funcionar normalmente em bancada sem o filtro, mas o risco de que ele acabe funcionando erraticamente depois não vale a economia dos componentes.

(*) Um filtro passa-baixas é o filtro que deixa passar todas as frequências abaixo da frequência de corte e atenua todas as frequências acima.

O filtro precisa estar tão perto do receptor IR quanto possível.

Já o resistor >10K entre VCC e a saída é opcional mesmo.

Este outro exemplo vem do datasheet do Vishay TSOP 1738:

InfraredReceiver_LowPassFilter_ExampleVishay_automalabs.com.br

Este outro do mesmo datasheet, em uma revisão mais recente (rev10):

InfraredReceiver_LowPassFilter_ExampleVishayTSOP17_rev10_automalabs.com.br

E este outro é do Vishay TSOP582:

InfraredReceiver_LowPassFilter_ExampleVishayTSOP582_automalabs.com.br

Valores de resistor e capacitor são diferentes, mas o resultado da maioria é equivalente. Se você usar um calculador de filtro passa baixas verá que o primeiro exemplo (do IRM) tem uma frequência de corte de 72.05Hz, o segundo de 102.61Hz e o terceiro de 338.63Hz. A diferença entre eles é irrelevante porque estão bem abaixo dos vários kHz que seriam um problema. Já o quarto exemplo dá uma frequência de corte (“typical values”) de 15915.49HZ, o que parece estranho. Meu conselho é que siga a recomendação do datasheet do seu receptor específico ou, na falta de um, use um dos três primeiros exemplos.

Postado em Sem categoria | Tags: , | Deixe um comentário (responderei para o seu e-mail)

Kit de controle remoto infravermelho

infrared_remote_kit_IMG_1083_automalabs.com.br

Atenção

Ao trabalhar com o receptor IR, dois cuidados precisam ser tomados:

  • Providencie alimentação extra para o Arduino. Apenas alimentá-lo pela USB pode não ser suficiente;
  • Abrigue o receptor da luz ambiente. Faça com que ele fique “na sombra”. Iluminação fluorescente, principalmente eletrônica, pode interferir com o funcionamento do receptor. Perceba que em quase todo aparelho que usa IR o receptor fica oculto atrás de um “filtro” escuro e muitas vezes recuado. Isso é para evitar que ele veja a luz ambiente.

Nos dois casos acima, o sintoma de problemas é que o comando falha 50% das vezes ou mais.

Seu transmissor pode eventualmente ser entregue ainda com o isolador no compartimento de bateria. É uma pequena lâmina de plástico que fica saliente. Retire totalmente (pode jogar fora) para que a bateria faça contato. Isso é colocado na fábrica para evitar que a bateria descarregue se um botão ficar pressionado durante o transporte.

Para testar o transmissor, use uma câmera digital qualquer. Aponte o controle para a câmera e veja se o LED está acendendo quando você aperta um botão.

Tabela de códigos do transmissor (códigos NEC de 32 bits compatíveis com a biblioteca IRremote):

  • FFA25D = Power
  • FF629D = Mode
  • FFE21D = Mute
  • FF22DD = Play/Pause
  • FF02FD = Previous
  • FFC23D = Next
  • FFE01F = EQ
  • FFA857 = “-“
  • FF906F = “+”
  • FF6897 = 0
  • FF9867 = Repeat
  • FFB04F = USB/SD
  • FF30CF = 1
  • FF18E7 = 2
  • FF7A85 = 3
  • FF10EF = 4
  • FF38C7 = 5
  • FF5AA5 = 6
  • FF42BD = 7
  • FF4AB5 = 8
  • FF52AD = 9

O transmissor usa “repeat codes”. Para que o Arduino detecte que botão você apertou e segurou é necessário que seu sketch tenha decodificado com sucesso a primeira transmissão e ao receber os repeat codes “enxergue-os” como o código anterior. Sketches que não sabem lidar com repeat codes dirão que o código recebido é “FFFFFF”.

Explicando de outra forma:

Quando você aperta e segura um botão do remoto, ele transmite uma vez o código correspondente à tecla e depois fica transmitindo o “repeat code” até você soltar o botão. Se o arduino perder essa primeira transmissão, não há como ele identificar que botão você está segurando, por mais que você aponte para o receptor.

O que estou explicando aqui aplica-se ao transmissor fornecido no kit, que usa um protocolo parecido com JVC e NEC.

Datasheet do receptor IRM8601

IRM8601 - Infrared Remote Control Receiver
IRM8601 - Infrared Remote Control Receiver
IRM8601 - Infrared remote control receiver.pdf
242.4 KiB
454 Downloads
Detalhes...
Postado em Produtos | Tags: , , | 1 Comment